Desde a antiguidade, o cabelo é considerado um marcador de saúde e doença do corpo. Supervalorizado pelas mulheres, também está entre as preocupações estéticas de muitos homens. Nos países orientais, a saúde capilar é sinal de longevidade e qualidade de vida. Na China, a força e vitalidade dos cabelos esta lingada a força, essência e sangue dos pulmões, rins e fígado. No passado, alterações capilares eram indicativas de lepra e o tratamento era “cortar o mal pela raiz”.

Segundo a Dra. Elizete Kaffer, médica dermatologista, tricologista e terapeuta quântica, diretora do Instituto Shalon de Ensino e Pesquisa e consultora do Spa Quântico Shalon, o cabelo funciona como uma reserva metabólica e um termômetro da saúde geral do corpo. Por ser um órgão menos vital, quando ocorre uma intoxicação, inflamação , infecçao ou alergia há um desequilíbrio nutricional, metabólico e hormonal redirecionando os nutrientes dos órgãos menos vitais - cabelo, pele e unhas para os mais vitais – cérebro, coração, rins pulmões etc. Se o corpo possui uma saúde excelente e reservas metabólicas ótimas e o fator agressor e leve e por curto intervalo de tempo, este reequilíbrio e conseguido sem a depleção e alterações capilares. Caso contrario, independente do foco de origem do fator agressor ( digestivo, respiratório, dental etc ) podem ocorrer alterações capilares de cor, volume, alteração de estrutura , frizz, maciez, diminuição de crescimento, quebra, queda como como único sintoma dessas alterações metabólicas. Por isso existem mais de 2500 causas de alterações capilares. Como uma febre, a queda de cabelo e um sintoma e deve ser tratada com o diagnostico e tratamento da causa do distúrbio metabólico para que ocorra cura clinica definitiva e consequente melhora da saúde capilar.

A Tricologia é a área da saúde formada por profissionais de diversas áreas que estudam e tratam alterações capilares como um reflexo da saúde global do organismo. O tricologista é um profissional que não enxerga o cabelo como um órgão isolado: podem ser cabelereiros , terapeutas, nutricionistas, psicólogos, dentistas, fisioterapeutas, enfermeiros e médicos que utilizam a saúde capilar como marcador de níveis de saúde. De acordo com a sua área de atuação, cada profissional pode colaborar tanto no diagnóstico como no tratamento das alterações capilares, com recursos técnicos e terapêuticos específicos. Todo paciente que apresenta alterações de volume, cor, estrutura, penteabilidade, queda, quebra, oleosidade deve procurar um tricologista. Antigamente o cabelo era visto como órgão isolado, sem função metabólica e os tratamentos eram meramente locais através de loções, vitaminas, bloqueadores enzimáticos (finasterida) e hormônais ( anticoncepcionais), com resultados superficiais e por um curto período. “A Medicina pré-genômica determinava que éramos vítimas do nossa herança genética e nada poderia ser feito. Toda queda de cabelo era considerada calvície genética sem cura”. Explica Dra. Elizete Kaffer. “Com o advento da Medicina pós-germômica e quântica na Europa e países orientais, descobriu-se que herdamos somente 20 mil genes expressivos, genes da saúde e da doença, que podem estar ativos ou adormecidos de acordo com fatores externos, ambientais, alimentares, stress e estilo de vida (fatores epigenéticos).

Atualmente, a medicina preventiva epigenômica não espera o paciente ficar doente, mas busca determinar fatores epigenéticos bons e ruins para “acordar” os genes da saúde e eliminar os genes da doença. Através de exames biofísicos e epigenéticos simples, rápidos, indolores e acessiveis , utilizados na Europa há mais de uma década, a analise da condutibilidade elétrica dos tecidos ou uma simples amostra de mucosa da boca ou do bulbo capilar ( cell wellbeing) permite detectar, em poucos minutos, tanto as predisposições genéticas quando os fatores positivos e negativos, quanto a incompatibilidades alimentares, a conservantes, toxinas, infecções, inflamações, parasitas e radiações. Muitas vezes alimentos considerados saudáveis são geneticamente incompatíveis ao indivíduo e prejudiciais a saúde.

“Não existem regras. É um tratamento personalizado de acordo com o código genético da pessoa. O tratamento visa uma mudança do estilo de vida, otimizando os alimentos, cosméticos, produtos de higiene pessoal, vestuário e hábitos de vida positivos e eliminando os negativos”, esclarece a Dra Elizete Kaffer. Esse tratamento, chamado “Programa de Otimização da Saúde”, se faz através do adormecimento dos genes da doença e ativação dos genes da saúde, além de beneficiar o paciente a curto e longo prazo, permite que esses genes sejam passados fortalecidos às gerações futuras . A saúde e beleza capilar vêm como um reflexo da otimização da saúde geral da pessoa.

Dra. Elizete Kaffer - Médica Dermatologista, Tricologista e Terapeuta Quântica,

Diretora do Instituto Shalon de Ensino e Pesquisa

Consultora do Spa Quântico Shalon